TRATAMENTOS

Tratamentos | Mau Hálito (Halitose)

Halitose ou mau hálito é a exalação de odores desagradáveis oriundos da cavidade bucal através da respiração ou da fala, sendo que em mais de noventa por cento dos casos a origem do problema está é na própria boca (dentes cariados, língua com saburra etc.). Como o olfato se adapta rapidamente a qualquer odor constante, o portador de halitose acostuma-se com o próprio hálito, não sendo capaz de perceber o seu problema. Informalmente, é denominado “bafo”.

O mau hálito ou halitose não é uma doença e sim, um sinal ou sintoma de que algo no organismo está em desequilíbrio, que deve ser identificado e tratado.

Realizamos o teste de halitose como exame complementar para auxiliar o devido diagnóstico e tratamento.

Onde é originado e quais são as causas principais?

De acordo com os estudos mais recentes, as origens do mau hálito podem ser:

• Origem bucal (de 90 a 95 % dos casos)*

• Origem extra-bucal ( de 5 a 10 % dos casos)*

Observação: Como causas de origem extra-bucal, consideramos as causas de origem nas vias aéreas superiores e as de origem metabólica ou sistêmica, vindas de dentro do organismo.

As causas da halitose conhecidas são mais de 60 e as causas bucais correspondem, como visto acima, a mais de 90% dos casos. Dentre as causas mais importantes e comuns originadas na cavidade bucal, temos a saburra lingual e as doenças da gengiva (gengivite e periodontite).

Nas causas do mau hálito originado nas vias aéreas superiores, os principais responsáveis são os cáseos amigdalianos, e de origem sistêmica ou metabólica, temos o jejum prolongado, a ingestão de alimentos odoríferos (capazes de alterar o hálito), o diabetes não compensado, a hipoglicemia e as alterações hepáticas, renais e intestinais como causas principais, mas que como vimos acima, correspondem somente a uma porcentagem muito pequena dos casos.

O MAU HÁLITO NÃO VEM DO ESTÔMAGO, sendo que este é frequentemente responsabilizado pela alteração no odor do hálito, exceto em raros casos de Diverticulose esofágica (especialmente o divertículo de Zencker – que é uma causa originada na transição entre o esôfago e a faringe) ou ainda devido a arrotos ou refluxo gastro-esofágico, porém nestes casos a alteração do hálito é momentânea e passageira e seu odor não é o característico cheiro de enxofre presente na halitose crônica e sim um odor caracteristicamente ácido.

Abaixo você encontra 62 causas possíveis de Halitose, divididas por 4 origens principais:

01. por hipo-função de glândulas salivares (hiposalivação, aumento de viscosidade)
02. por peças protéticas odontológicas porosas, mal adaptadas ou defeituosas
03. por alterações morfológicas da língua (fatores predisponentes à saburra lingual)
04. por língua saburrosa (saburra lingual)
05. por higiene bucal deficiente
06. por doença periodontal (gengivite e periodontite)
07. por cárie dentária
08. por cicatrização de feridas cirúrgicas
09. por neoplasia
10. por estomatite
11. por cisto dentígero
12. por miíase

Menu